Avançar para o conteúdo principal

Lolita Wine on The Rocks Finkus Collection 2011


Quando se bebe tem de se escrever freneticamente sobre este vinho.
Mas vamos por partes desta experiência.
Quando vemos a garrafa ficamos apaixonados pelo rótulo, bonita garrafa e cápsula. Pela capacidade de criatividade e o convite a desfrutar a ousadia do produtor, que prima pela inteligência arrojada de romper com algumas verdades que estamos acostumados.
Mas vamos à prova! Motivada pelo rótulo, rodo o copo, cheiro e provo. O vinho está quente. A primeira sensação não é boa. Pedimos para arrefecer. Claro que não temos termómetro, mas dá para perceber que não pode ser servido àquela temperatura. Voltamos a provar. Continua a precisar mais de frio. Colocamos mais tempo no frio. Quando servimos novamente, o vinho está ligeiramente abaixo do que é normal, mas tenho que vos dizer: absolutamente fantástico! É fresco e vibrante, é um daqueles tintos fáceis de beber. Tão fácil que ainda não tinha vindo tudo para a mesa e já não havia vinho na garrafa. Visualmente é um vinho brilhante e claro, mas forte, senti um sabor de ameixa, é algo frutado, com grande suavidade e equilibrado.
Bem, como comentários finais chocantes a esta prova é que este vinho tinto se bebeu como sumo. Delicioso!
Este vinho tem como produtor a Quinta do Pôpa, que lançou dois vinhos, nesta colecção. Referem características humanas na descrição do vinho e dai o nome Lolita, o mais jovem e atraente e o Milf, mais complexo e maduro. Falta experimentar o Milf, apesar do nome não ser muito sugestivo para mim. O primeiro está feito, impossível não experimentar o outro.

A garrafa que experimentamos era numerada, pelo que deverão existir poucas garrafas. Aconselho a experiência em todos os sentidos. Nota: 8.9 (01-10)

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O vinho é de todos

Já poucos são os que se deixam intimidar pelas críticas, considerações ou gostos e tendências marcadas pelos escanções ou sommeliers sobre o vinho. Cada vez mais o vinho está a popularizar-se na curiosidade, na experiência e na procura de conhecimento. Muitos são aqueles e aquelas que querem estar no mundo do vinho, fazendo disso a celebração da vida, sem que isso seja uma profissão ou um oráculo a que só uns têm acesso, arriscando compras arrojadas e experimentando vinhos pelas castas, pelas regiões, experimentando sem que isso seja condicionado pelo que vêem ou lêem.
Para a popularidade do vinho contribui a crescente oferta com maior informação e maior acesso. Contribui certamente uma oferta diversificada e sustentada com maior acesso à informação e imagens mais trabalhadas do vinho. Mas sobretudo a qualidade dos vinhos. Os produtores estão cada vez mais activos no processo de criação de um vinho e proximidade com o consumidor, são construtores de marcas sólidas com histórias para co…

Segredos de S. Miguel Reserva 2013

Deixo-vos aqui outro vinho da Herdade de S. Miguel. Já tínhamos provado o Herdade de São  Miguel Branco, com excelente nota. Desta feita o Segredos de S. Miguel Reserva Tinto 2013.
A Herdade de S. Miguel, deste vinho, está situada no concelho do Redondo, no Alentejo. Apresenta-nos nesta marca o Branco, Tinto, Rosé e Reserva Tinto. 
O Segredos de S. Miguel Reserva 2013 é um vinho Reserva Tinto reconhecido mundialmente, uma vez que foi distinguido no concurso mundial de vinho 2014 com uma medalha de prata.
As castas seleccionadas para o Segredos de S. Miguel Reserva 2013 foram Alicante Bouschet, Aragonez, Touriga Franca e Touriga Nacional.
É um vinho com uma cor rubi densa, o aroma é frutado e muito bem estruturado. Na boca no início percebe-se a madeira e baunilha, tem notas de especiarias e de chocolate no final. O final é prolongado e muito suave. Nota: 8.1 (0-10)

Subsídio Tinto 2013

Excelente vinho tinto Alentejano. A trazer orgulho à região do Alentejo, este tinto pertencente à casa Lima Mayer. Com as castas , Alicante Bouchet, Syrah e Cabernet Sauvignon, confere ao vinho tinto estrutura e ao mesmo tempo leveza com muitos toques de frutos o que o torna muito agradável para uma tarde descontraída de Outono. Sente-se a fruta do vinho, quando se bebe existe uma sensação adocicada de cereja, algo prolongado o que faz deste vinho tinto mais suave.  As castas do subsídio no que confere a aromas e sabores conferem sabores intensos, complexos, firmes e muita cor, o que faz do Subsídio Tinto de 2013, um bom vinho que recomendo. Nota: 8.5